terça-feira, 29 de novembro de 2011

Respeite a bufa!

     Zé da Diva estava passeando pela praça Ari de Sá Cavalcante, no Parque Araxá, segurando uma mão do neto Alcebíades, de apenas 3 anos de idade. De repente, começou a sofrer os efeitos da panelada que havia comido minutos antes e veio a necessidade de soltar uma bufa.
    Quando a situação apertou, ele olhou para um lado e para o outro e, vendo que não tinha mais ninguém por perto, liberou, em silêncio, um “animal” de quase 10 segundos.
 O menino, na santa inocência, ao sentir aquela podridão bem na sua cara, apertou a mão de Zé da Diva, direcionou um olhar para ele e perguntou:
     - Ei, vovô, tu quer fazer cocô, é?

A lenta agonia do Orkut

    Estou assistindo com uma certa tristeza a lenta agonia do Orkut... 
    Muitos dos meus amigos virtuais estão abandonando esta rede social e se transferindo de armas e bagagens para o Facebook.
    Pude comprovar isso no domingo passado, observando o número de mensagens que recebi por conta do meu aniversário natalício. Enquanto, em 2010, no Orkut, eu recebi 52 mensagens, neste ano foram apenas 19. Enquanto isso, no Facebook foram 73.
    Constato essa mudança, repito, com uma certa tristeza, porque, mesmo sendo uma "anta digital", eu consigo explorar quase todos os recursos do Orkut. No Facebook, ao contrário, enfrento dificuldades até para criar álbuns de fotos.
    Vou continuar usando o Orkut e tentar descobrir essas maravilhas do Facebook que as pessoas tanto propagam.

domingo, 27 de novembro de 2011

Um dia repleto de alegria e emoção

     Quero agradecer, do fundo do coração, aos amigos e amigas que externaram cumprimentos pelo meu aniversário natalício, trancorrido neste domingo, dia 27. A data foi comemorada com uma missa em ação de graças, na Igreja de São Raimundo (Rodolfo Teófilo), e um almoço especial na casa da minha mãe, no Pirambu, com a presença de alguns parentes e amigos, como se pode ver nas fotos a seguir e em outras que coloquei nos álbuns do orkut e facebook:
 
A hora dos "parabéns"...

Eu com meus filhos Thiago e Thaís
 
Dona Lúcia, Raimundo, Aline, Thiago e JM 
 
Madalena, JM e Marinete 
 
Com meus irmãos Fátima, Lanno, Juari e Juralice 

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Missa e almoço no meu aniversário


     Quando estou me sentindo de bem com a vida, gosto de comemorar meu aniversário junto aos parentes e amigos mais chegados, como forma de agradecer a Deus pelas graças alcançadas.
     Neste ano de 2011, por exemplo, aproveitando que a data cairá num domingo, eu e Marinete havíamos planejado convidar a galera para uma “tertúlia” no salão de festas do condomínio onde a gente reside, na base da “luz negra” e ao som de músicas nacionais e internacionais dos anos 60 e 70.
     Porém, nos últimos dias aconteceram uns “probleminhas” na vizinhança, que deixaram no ar um clima meio impróprio para eventos.
     Por isso, decidimos mudar a programação e festejar com uma missa em ação de graças, às 7 horas da manhã, na Igreja de São Raimundo (Rodolfo Teófilo), e um almoço especial na casa da minha mãe, no Pirambu, onde passei a infância e boa parte da juventude.
     Não vamos convidar ninguém para a missa e o almoço, mas quem aparecer, será bem vindo(a).

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Estreia deve ser adiada

     Tudo indica que o problema ocorrido nos últimos dias na lagoa do Porangabussu, ocasionando a morte de milhares de peixes, vai provocar o adiamento do comercial onde eu e Marinete faremos nossa estreia como "atores". O material deveria começar a ser veiculado nas emissoras de rádio e televisão nesta sexta-feira, dia 25. Mas, segundo fiquei sabendo, a Prefeitura vai dar um tempo, esperando a lagoa voltar ao seu estado normal.

Ainda ontem chorei de saudade!

Você me pede na carta que eu desapareça
Que eu nunca mais te procure, pra sempre te esqueça
Posso fazer sua vontade, atender seu pedido
Mas, esquecer é bobagem, é tempo perdido...

Somente hoje, ao ouvir no rádio, foi que vim perceber como são bonitos esses versos iniciais de uma música sertaneja que fez muito sucesso anos atrás.

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Milhares de peixes mortos na lagoa do Porangabussu

          A lagoa do Porangabussu, localizada no Rodolfo Teófilo, voltou a ser motivo de preocupação para os moradores do seu entorno, bem como para os transeuntes e pessoas que costumam caminhar no calçadão. Ontem apareceu uma grande quantidade de peixes mortos no espelho d’água. Segundo consta, o problema está acontecendo por conta de esgotos clandestinos que deságuam no logradouro. O motivo pode ser também a quantidade de oxigênio da água, que não é suficiente. A preocupação da comunidade é que a água esteja contaminada e prejudique a saúde de quem tem contato com a lagoa, principalmente os freqüentadores que sobrevivem da pesca, tanto para consumo próprio, quanto para venda. 
Confira nos vídeos abaixo:
video 
Milhares de peixes, de vários tamanhos, tentando sobreviver devido à insuficiência de oxigênio na água
video
O morador pegou sua tarrafa e ficou pescando - boa parte dos peixes ainda estavam vivos. Ele afirmou que iria vendê-los em alguma feira-livre da cidade

Um livro inteiro sem o "que"

     O livro "Onde estava o arco-íris?", de minha autoria, a ser lançado no princípio de 2012, pela Diz Editora, tem uma particularidade rara em trabalhos literários: no texto o leitor não vai encontrar, uma vez sequer, a partícula "que".
    Foi difícil conseguir tal façanha, pois, como todos sabem, o "que" possui 27 funções na Gramática Portuguesa. Às vezes é praticamente impossível alguém escrever ou pronunciar duas ou três frases seguidas sem usá-lo.
     Para elaborar um texto tão longo (quase 60 laudas), ignorando o "que", recorri aos ensinamentos do meu saudoso mestre Itamar Espíndola. A abolição do tal recurso não é inédita, mas, sem sombra de dúvida, deixa o livro mais gostoso de ser lido.
     E você aí, quer ver se este exercício é fácil ou difícil? Então, experimente escrever um texto de 5 a 10 linhas sem usar o "que"...

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Sobre a revisão e o prefácio do meu próximo livro

     Obrigado aos amigos e amigas que ficaram "solidários" comigo por causa do susto que passei no Chopicanha. Ainda bem que tudo não passou de um sonho. Mas relatar isso no blog foi legal porque deu para perceber, pelas respostas, que um bocado de gente se preocupa comigo.
     Neste final de semana dei ínicio à última revisão gramatical dos originais do livro "Onde estava o arco-íris?", que devem ser entregues à Diz Editora nos próximos dias, para que o lançamento ocorra no começo de 2012. Estou achando bacana ter que olhar o texto para deixá-lo de acordo com as recentes mudanças ortográficas, embora ache meio esquisito ter que tirar o acento agudo em palavras como idéia (ideia), platéia (plateia) e assembléia (assembleia). Mas o importante é que, até agora, encontrei poucas palavras que precisam de correção.
     A novidade maior, em relação ao livro, é que o prefácio vai ser escrito pela minha dileta prima Izaíra Silvino (foto abaixo), personalidade que possui um grande destaque no cenário cultural cearense, como maestrina, regente, coralista, cantora, professora, escritora, editora, dentre outras importantes funções artísticas. Fiquei feliz em saber que ela aceitou esta incumbência.
 
     Boa semana para todos vocês!

sábado, 19 de novembro de 2011

Respeite o susto que levei!

     Passei por um grande sufoco ontem à noite.
     Estava sozinho e resolvi jantar no restaurante Chopicanha, localizado na avenida Jovita Feitosa. Pedi um peixe frito e uma Coca-Cola em lata. Meia hora depois, chamei o garçom para pagar e ele me apresentou uma despesa de R$ 580,00.
     Quando examinei a conta, estava discriminado que eu havia consumido vários pratos, incluindo peixes, carnes e até frango (que detesto!), uísque, cervejas, vinhos, sobremesas, sorvetes, enfim, uma porrada de coisas que era simplesmente impossível uma pessoa comer e beber em 30 minutos.
     Tranquilo, chamei o garçom e lhe mostrei que havia algo errado, mas ele falou que estava tudo certo. Fui falar com o gerente e ele ratificou as palavras do garçom, informando, inclusive, que eu poderia parcelar a conta em três vezes, no cartão de crédito.
     Aí, perdi a paciência, comecei a falar bem alto, para todo mundo ouvir, que estava sendo roubado.
     Depois apareceu um cara, que parecia ser o dono do estabelecimento, acompanhado de dois policiais do Ronda do Quarteirão, dizendo que eu iria ser preso, porque eu tinha o costume de comer e beber em restaurantes caros e inventar desculpas para não pagar a conta.
     GRAÇAS A DEUS, NO INSTANTE EM QUE OS POLICIAIS IAM SE APROXIMANDO DE MIM, EU ACORDEI E PERCEBI QUE TUDO AQUILO NÃO PASSAVA DE UM SONHO. OU MELHOR, DE UM PESADELO. 
     UFA!

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Presente de aniversário!

Eu já estava meio eufórico nos últimos dias, por causa dos resultados positivos que venho obtendo na minha vida social e profissional, cujos frutos deverão ser colhidos em sua plenitude a partir de janeiro vindouro.
E, nesta semana, para melhorar ainda mais o astral, um passarinho me contou que vou receber um grande presente de aniversário no dia 27 de novembro.
Segundo consta, na referida data, um "velhinho", que passou dois anos fora de seu "habitat", voltará para casa, localizada bem próximo à lagoa do Porangabussu, cantando os versos daquela música do Roberto Carlos: "Eu voltei, voltei para ficar, porque aqui, aqui é o meu lugar..."
Não vejo a hora de vivenciar essa felicidade que vai deixar toda a cidade iluminada de fogos, numa espécie de "reveillon" antecipado.

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Vou adentrar em 2012 com gosto de gás!

     Tudo indica que em 2012, se Deus quiser, vou dar uma deslanchada na minha trajetória como escritor. Logo no início do ano estarei lançando, pela Diz Editora, o livro “Onde estava o arco-íris?”, narrando lances curiosos ocorridos com um homossexual residente em Fortaleza.
     Em agosto, como parte das comemorações alusivas aos 15 anos de circulação do JPA, vamos colocar no mercado uma coletânea com as melhores presepadas do Zé da Diva (que desde a primeira edição é o personagem principal da nossa seção de piadas), com ilustrações do artista plástico George Mendes.
     Paralelo a tudo isso, devo finalizar outro livro inédito que estou escrevendo, cujo título provisório é “Alcoviteira” e tem como enredo um romance que começa na cidade de Guaiúba e termina na capital, de forma surpreendente. O lançamento, dependendo do “andar da carruagem”, pode acontecer também em 2012.
     E já estou me articulando para fazer uma divulgação maciça junto aos parentes e amigos, nas emissoras de rádio e televisão de Fortaleza, jornais, revistas e nas redes sociais (blogs, sites, twitter, facebook, orkut etc.).

     Portanto, o Ano Novo que me aguarde, pois adentrarei nele com gosto de gás!

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Parabéns, Marinete!

     Minha esposa Marinete (foto) recebeu diversas homenagens por conta do seu aniversário natalício, que transcorreu neste domingo, dia 13.
 
     Tudo começou no sábado à noite, na residência da nossa amiga Salete Santos, no Monte Castelo, onde ela recebeu os primeiros "parabéns". No domingo, logo pela manhã, estivemos assistindo a uma missa em ação de graças na Igreja de São Raimundo (Rodolfo Teófilo), juntamente com a Thaís, seu namorado Samuel e os amigos Carla e Isael . Ao meio-dia fomos almoçar no Chopicanha da Jovita (Parque Araxá), na companhia da Thaís, Samuel, Thiago, sua esposa Aline e os pais dela, Raimundo e Lúcia. À noite, nos juntamos à Dorinha (tia da Marinete) e nossos vizinhos Daniel e Bianca e fomos comer deliciosas panquecas no Baby Lanches (Parquelândia).
     E o melhor de tudo isso é que a aniversariante passou o dia inteiro recebendo ligações telefônicas de parentes, amigos e "correligionários", todos eles fazendo questão de cumprimentá-la pela data especial.
     É isso aí, Marinete... Quem planta boas sementes, sempre colhe bons frutos!   

domingo, 13 de novembro de 2011

Uma festa diferente!

    Ontem à noite eu tive o prazer de participar de uma festa diferente, no mínimo inusitada. Minha amiga Salete Santos estava trocando de idade e resolveu comemorar reunindo parentes e amigos em sua residência, localizada no Monte Castelo, tendo a música brega como tema.
    Quase todos os convidados estavam vestidos à caráter, ostentando roupas, bijuterias e objetos pra lá de engraçados, com destaque para um antigo aparelho celular Motorola, que pesava quase um quilo. E haja cerveja, uísque, cachaça e tira-gostos como torresmo, linguiça, queijo, ovo cozido, galinha à cabidela, rapadura, pão com mortadela... E ainda um desfile para escolher o convidado mais brega.
    Obrigado, Salete, por ter nos convidado para partilhar esse momento especial.
Na hora dos parabéns, Salete Santos (a segunda da esquerda para a direita) dividiu a homenagem com outras amigas que também estavam trocando de idade, no caso minha esposa Marinete, Socorro Barros e Lilian  

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Zé da Diva faz sucesso entre leitores do JPA!

A cada dia que passa, mais eu fico impressionado com o sucesso que Zé da Diva faz junto aos leitores do JPA - Jornal Parque Araxá. É muito bacana você andar pelas ruas e ouvir as pessoas afirmando que são fãs do personagem principal da nossa seção de piadas. Tem muita gente que diz: "Quando o jornal chega, a primeira coisa que olho é se tem alguma presepada do Zé da Diva, depois é que vou ler as outras matérias!"
     Mas, afinal de contas, quem é esse Zé da Diva? Trata-se, na verdade, de um personagem que criei anos atrás, quando escrevia a coluna "Onibusman", na extinta revista "Varal", editada pelo meu saudoso amigo Vescêncio Fernandes. O perfil é de um velho que gosta de contar situações engraçadas onde quase sempre ele é a vítima.
     E Zé da Diva vai receber uma grande homenagem em 2012, quando estaremos comemorando os 15 anos de circulação do JPA. Estou pensando em lançar um livro intitulado "Zé da Diva: 15 anos de presepadas", contendo as melhores estórias dele já publicadas no jornal, com ilustrações do meu amigo George Mendes.

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Valorização da cidadania no Parque Araxá

     Estou achando o Parque Araxá meio “paradão” em termos de eventos sócio-culturais e esportivos. Quem acompanha a trajetória do JPA é testemunha de que nos últimos anos tentamos, por várias vezes, estabelecer ações e projetos duradouros para movimentar o bairro, mas as respostas dos moradores não corresponderam às nossas expectativas.
     
     Pode ser que com a chegada da Fundação Restaurart, em dezembro vindouro, a situação melhore, pois o nosso amigo Michel Lins (foto) mostra-se disposto a revolucionar o bairro com uma série de atividades voltadas para a valorização da cidadania de crianças, jovens, adultos e idosos que residem por estas bandas de Fortaleza. 
     E é legal saber que sou o Diretor de Comunicação deste projeto e que tem muita gente boa se engajando nele!

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Mais uma surpresa agradável!

           Esta minha vida, graças a Deus, está ficando repleta de surpresas agradáveis! 
A novidade agora é que eu e minha esposa Marinete fomos contratados para participar de um filme onde o tema principal é a nossa relação com a lagoa do Porangabussu. As gravações começaram hoje à tarde e devem se estender por todo o dia de amanhã.
Segundo a produção, a história vai ser mostrada ainda este ano em todas as emissoras de rádio e televisão de Fortaleza, como propaganda da Prefeitura. E o melhor de tudo isso é que vamos aparecer como atores e ainda estamos faturando uma grana legal. 
Pelo visto, daqui a pouco serei obrigado a andar cercado de seguranças para conter o assédio dos fãs!
Nossa relação com a lagoa do Porangabussu é o tema principal do filme que estamos gravando 

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Fundação Restaurart promove festa itinerante para a criançada

     A Fundação Restaurart, que tem à frente o jovem Michel Lins, promoveu no dia 12 de outubro uma festa itinerante em homenagem ao Dia da Criança. Cerca de 1.300 crianças entre 1 e 10 anos de idade foram contempladas com brinquedos e lanches, kits com bombons, pipoca, pirulitos, chocolate etc. 
     A carreata, composta de 7 veículos, saiu distribuindo os brindes pela praça Ari de Sá Cavalcante, lagoa do Porangabussu, avenida Gonçalves Dias, ruas Carvalho Mota, Teodoreto Souto, Moreninha Irineu, José Bastos, Cândido Jucá, Joaquim de Melo, Capitão Francisco Pedro, Porfírio Sampaio, travessa São Caetano, dentre outras artérias do Parque Araxá e Rodolfo Teófilo.
     Segundo Michel, a festa foi mais uma ação ousada da Fundação Restaurart, que já existe há alguns anos, objetivando afastar crianças e jovens dos perigos da rua através do estímulo à prática de atividades sócio-culturais e esportivas, e agora está alçando vôos mais altos, com destaque para a inauguração da sua sede, localizada na avenida Gonçalves Dias, N° 50, na confluência dos bairros Parque Araxá, Rodolfo Teófilo e Parquelândia, o que deve acontecer em dezembro vindouro.
     Michel faz questão de ressaltar que está conseguindo tudo isso graças às parcerias que vem estabelecendo com autoridades, empresários, profissionais liberais e outros voluntários, entre os quais ele destaca o empresário Alexandre Pereira e o secretário estadual do Trabalho e Desenvolvimento Social, Evandro Leitão.
Michel Lins e sua equipe de voluntários saíram distribuindo os presentes pelas ruas do Parque Araxá e Rodolfo Teófilo
           (Matéria transcrita do JPA de novembro/2011)

A união que vai fazer a força!

     Quem acompanha a trajetória deste jornal, desde a sua primeira edição, deve recordar que por várias vezes propomos a união das principais lideranças políticas e comunitárias do Parque Araxá, Parquelândia, Rodolfo Teófilo e adjacências, objetivando colocar na Câmara Municipal uma pessoa que esteja realmente disposta a trabalhar pelo nosso desenvolvimento. Defendemos esse tipo de articulação baseados no que já existe, com sucesso, em bairros de grandes cidades brasileiras, que trabalham para eleger um determinado candidato, sob o compromisso de que, após a vitória, ele dê prioridade à melhoria das condições de vida sócio-cultural e econômica das comunidades que representa. Caso contrário, no pleito seguinte, seu nome será simplesmente “riscado” do mapa e substituído por outro.
     Agora, parece que, finalmente, isso vai acontecer. Nos últimos dias, temos participado de várias reuniões neste sentido. Estamos formando um grupo de moradores comprometidos com o futuro do bairro, como Michel Lins, Juracy Mendonça, Cizé, Paulinho do Frango, Antônio Filho, César Filho, dentre outros, que brevemente começarão a visitar parentes, vizinhos e amigos, mostrando-lhes a importância de termos no Poder Legislativo um parquearaxaense da gema, que conhece nossos problemas de infra-estrutura e irá atrás de resolvê-los usando as prerrogativas inerentes a um vereador, até porque sua assessoria será composta por lideranças políticas e comunitárias como essas acima citadas.  
     O grupo está unido no pensamento de que não podemos mais ficar apostando em candidatos “copa do mundo” - aqueles que só aparecem de quatro em quatro anos. Está na hora de acabarmos com essa história de a maioria esmagadora do nosso eleitorado votar em qualquer um, contanto que receba em troca alguma compensação material ou financeira, contribuindo diretamente para a vitória de “forasteiros” que não sabem nem onde fica nosso bairro.
     Divididos, éramos fracos politicamente, virando presas fáceis para quem pretende chegar ao poder transformando o voto em mercadoria. Mas, a partir de agora, tudo pode ser diferente. Estamos irmanados em um projeto mais amplo, de interesse coletivo, tentando eleger quem já possui uma extensa folha de serviços prestados à comunidade, visando, acima de tudo, o bem-estar de nossas crianças, jovens, adultos e idosos, e, como vereador, permanecerá em contato com a gente, prestando contas do seu trabalho, ao contrário de outros que, após as eleições, ganhando ou perdendo, desaparecem das nossas vistas.
     Fiquem atentos, portanto, porque empresários, comerciantes, prestadores de serviços, profissionais liberais, professores, estudantes, donas-de-casa, enfim, todos os moradores do Parque Araxá, Parquelândia e Rodolfo Teófilo já estão sendo convocados para somar forças neste projeto que, se for da vontade de Deus, será coroado de êxito.
     Obs.: Infelizmente, por conta da legislação eleitoral, ainda não posso revelar aqui o nome da pessoa que escolhemos para representar nossas idéias. Mas há uma certeza: não sou eu.

     (Artigo de minha autoria publicado no JPA de novembro/2011)

sábado, 5 de novembro de 2011

Editorial do JPA deste mês

     O relatório divulgado no mês passado pelo UNODC (Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime) é estarrecedor, mas, infelizmente, retrata a dolorosa realidade em que vivemos: o Brasil tem índices de crimes de homicídio maiores do que os de alguns países em guerra, como El Salvador, Iraque e Afeganistão.
     De acordo com os dados revelados, a taxa média brasileira de homicídios é de 22,7 crimes por 100 mil habitantes, o que, convenhamos, é um autêntico absurdo, contrastando flagrantemente com a imagem de “país pacífico” que nossos governantes tentam propagar pelo mundo afora.
     A situação fica mais calamitosa, e preocupante, quando se confirma o que os estudiosos já especulavam. Ou seja, que a maioria esmagadora das vítimas desses homicídios é composta de jovens pobres, do sexo masculino. Esse segmento populacional é o que está mais exposto ao risco de ter assassinatos, notadamente em comunidades onde existem grandes disparidades nos níveis de emprego e renda.
     Parque Araxá, Parquelândia, Rodolfo Teófilo, Benfica e outros bairros vizinhos ainda podem ser considerados tranquilos em relação a essa estatística, principalmente se for feita uma comparação com outros lugares mais distantes, que formam a periferia da Grande Fortaleza. Mas é impossível desconhecer que essa “onda vermelha”, aos poucos, também está nos afetando, pois de vez em quando temos notícias de que um jovem do sexo masculino foi assassinado em algum ponto da nossa região.
     Diante do exposto, vêm as perguntas que não querem calar: por que tanto descaso das autoridades que poderiam mudar essa situação, e não o fazem, mantendo intocáveis estruturas sociais destorcidas? Até quando a sociedade brasileira permanecerá indolente diante dos contrastes sociais que a marcam, colocando a culpa apenas na inépcia dos políticos?
     Amigos e amigas, temos que sair urgentemente desta situação inaceitável, vergonhosa. Devemos cobrar ações e projetos enérgicos das autoridades para acabar com esse autêntico “banho de sangue” diário? Devemos, sim! Porém, mais importante do que isso é cada um de nós fazer a sua parte, propagando a paz em todos os ambientes que frequentamos. Caso contrário, a violência continuará cada vez mais presente no dia a dia do povo brasileiro.

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

JPA de novembro nas ruas!

     Começou a circular nesta sexta-feira, dia 4, a edição n° 142 do JPA - Jornal Parque Araxá, como sempre trazendo boas notícias para seus leitores, dando destaque ao que está acontecendo pelo Parque Araxá e bairros vizinhos. Nos próximos dias estarei colocando no blog os principais textos e fotos da referida edição.
     Por falar nisso, já estou começando a pensar na realização de uma grande festa dançante em agosto ou setembro de 2012, possivelmente no Clube Recreativo Tiradentes, em comemoração ao transcurso dos 15 anos do JPA, tendo como destaque o lançamento do livro "Zé da Diva: 15 anos de presepadas".
    Aguardem cartas!

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Meu próximo livro vai "bombar", se Deus quiser!

     Aviso aos amigos e amigas que estão esperando pelo lançamento do meu livro "Onde estava o arco-íris?":
     Hoje pela manhã estive reunido com Didi Moraes e Izaíra Silvino, diretores da Diz Editoração, ocasião em que optamos por lançar a obra no começo do próximo ano (janeiro ou fevereiro), a fim de ganharmos mais tempo para oferecer ao público um produto de primeira qualidade, que deverá repercutir inicialmente nas livrarias e meios de comunicação tradicionais de Fortaleza, como jornais, revistas e emissoras de rádio e televisão, bem como nas redes sociais (facebook, twitter, orkut, blogs, sites etc.). Depois iremos tentar "ganhar o mundo", divulgando pelo Brasil afora.
     Portanto, aguardem só mais um pouquinho, porque, se depender do que eu e a editora estamos planejando, o livro, como se diz na gíria atual, vai "bombar"!
     Obs.:
     Quem já adquiriu cópias do livro antecipadamente pode ficar traquilo(a), pois continua com direito a trocar os bônus pelos exemplares por ocasião do lançamento.

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Fotos da viagem à Santiago - I

     Apareceu um problema na hora de passar as fotos da câmera digital para o computador. Mesmo assim, consegui salvar alguns flagrantes que servem para dar uma ideia do nosso passeio por Santiago do Chile. Vejam:
 
Eu no Aeroporto Internacional de Guarulhos
 
Contemplando o tímido nascer do sol em São Paulo
 
15 minutos de avião por cima da Cordilheira dos Andes
 
"Hablando" espanhol ao telefone no Aeroporto de Santiago
 
Primeiros contatos com a modernidade da bela capital chilena
 
Parte de Santiago vista do oitavo andar do Hotel Marina las Condes


 
O brasileiro Cláudio foi o nosso guia turístico durante o passeio de sábado
 
Eu e Thaís conhecendo a famosa Plaza Libertad de Prensa

Fotos da viagem à Santiago - II

    Apareceu um problema na hora de passar as fotos da câmera digital para o computador. Mesmo assim, consegui salvar alguns flagrantes que servem para dar uma ideia do nosso passeio por Santiago do Chile. Vejam:
 
Durante a troca de guarda em frente ao Palacio de la Moneda
 
Emoção rolou solta quando a Banda de Música tocou "Aquarela do Brasil"
 
Movimento de nativos e turistas na Plaza de Armas
 
Catedral de Santiago: ícone maior da religiosidade chilena
 
Eu e Thaís aos pés da Cordilheira dos Andes
 
Na recepção do Hotel Marina Las Condes: volta pra casa
 
Thaís morta de alegre por estar degustando um produto da Starbucks
 
Eu também experimentei uma "gororoba" da renomada empresa americana
 
Da janela do avião fiquei observando as nuvens e o mar lá embaixo
 
Fazendo Sudoku enquanto aguardava o "asa dura" para Fortaleza

Cheguei de Santiago todo "quengado"!

     Meninos e meninas, amanheci hoje todo "quengado"!
     Os ouvidos "moucos", garganta inflamada, nariz entupido, lábios ressecados, dentre outras coisinhas que estão perturbando esse corpo velho já meio cansado de tantas guerras.
     Tudo isso é consequência da viagem que eu e Thaís fizemos ao Chile, principalmente o clima frio, as muitas horas andando de avião e as longas esperas em três aeroportos (Fortaleza, São Paulo e Santiago).
      Mas estou profundamente satisfeito com essa experiência. A gente ouve dizer que a capital do Chile possui uma das melhores qualidades de vida do mundo, mas só indo lá, "in loco", para ter uma dimensão de tal realidade.
     A cidade é praticamente de primeiro mundo: longos túneis e viadutos; praças e avenidas largas, arborizadas e bem cuidadas; um eficiente sistema de ônibus, taxi e, principalmente, metrô, facilitando os deslocamentos de habitantes e turistas; edifícios modernos e shoppings sempre lotados são alguns dos pontos que observei nos três dias que passei por lá.
     Vale a pena destacar também o amor que os chilenos têm pela sua terra, através da conservação de seus monumentos históricos, museus, palácios etc., sem descuidar dos valores presentes.
     Por enquanto estou colocando somente esta foto onde eu e Thaís aparecemos aos pés da Cordilheira dos Andes, tendo, ao fundo, uma visão panorâmica de Santiago.

    Mais tarde, quando eu estiver "disposto", publico as outras.