quinta-feira, 11 de março de 2010

Carta aberta para o Secretário de Segurança Pública do Ceará

Exmo. Sr. Secretário Roberto Monteiro,

Primeiramente, peço desculpas por enviar-lhe esta carta aberta. Sei que é muita ousadia de minha parte, pois sou apenas um cidadão comum, totalmente leigo em relação a políticas públicas. Mas gostaria bastante que V. Excia. tirasse um pouquinho do seu precioso tempo para ler a sugestão que estou enviando, cujo objetivo é, acima de tudo, reduzir os tormentos enfrentados atualmente pela população de Fortaleza em relação à violência urbana.
Secretário, o senhor não nasceu aqui, mas, certamente, sabe que a capital cearense já foi uma cidade pacata. E nem faz muito tempo! Até o final da década de 80, mais ou menos, andávamos quase tranquilos em qualquer parte, durante o dia ou à noite, pois não havia tanta gente roubando e matando. Hoje, infelizmente, a realidade é outra. Todos nós somos vítimas em potencial da bandidagem. Em casa, no trabalho, na escola, nas ruas, nas estradas, nas praias, nos estádios, nos ônibus, formando um clima de terror e medo que já expandiu-se também para praticamente todos os municípios do interior.
Diante do exposto, gostaria de sugerir que a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social lançasse uma grande campanha de desarmamento, com blitzs constantes e em locais incertos, pela cidade inteira, buscando, para isso, apoio dos veículos de comunicação, órgãos públicos municipais, estaduais e federais, empresas, colégios, igrejas, sindicatos, associações de moradores, enfim, de toda a sociedade civil organizada.
Tenho certeza absoluta de que os cidadãos de bem não se sentiriam constrangidos em serem revistados, caso os policiais fizessem as abordagens de forma educada. Por outro lado, os “fora da lei” ficariam menos à vontade para saírem às ruas armados até os dentes, como fazem no presente, o que iria contribuir diretamente para reduzir o grande número de assaltos seguidos de mortes que já estamos nos acostumando a tomar conhecimento.
Espero, sinceramente, que esta carta chegue às vossas mãos e que, após a leitura, o senhor venha a discuti-la com seus assessores e outros auxiliares mais próximos, estudando, assim, a possibilidade de colocar em prática a campanha aqui proposta. E, como o assunto é de interesse coletivo, estou enviando cópias para emissoras de rádio e televisão, redações de jornais e revistas, sites, blogs etc., como forma de provocar a sociedade a procurar meios de darmos um basta em tanta crueldade.
Sem mais para o momento, subscrevo-me, atenciosamente,

(Carta de minha autoria, entregue pessoalmente na Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará, no dia 9 de março de 2010, com cópias para redações de jornais e revistas, emissoras de rádio e televisão, sites, blogs etc.)

3 comentários:

Professor Neto Fontenele disse...

Muito bem, Juracy, é com iniciativas como estas que nossa Fortaleza teria mais chances de se livrar da violência. Sabemos que ela, a violência, não é algo que se possa tirar assim rapidamente das ruas. Mas, com políticas públicas eficientes, poderíamos sim lutar por nossos direitos, que já são tão poucos.
É com admiração que louvo esta sua ideia e, principalmente, sua atitude.

Catarina Diogo disse...

Muito bem primo.
Gostei por demais de sua carta.
Parabéns e tem o meu maior apoio.

teresinha disse...

Parabens, pela coragem e atitude, sao poucos com essa coragem sua, se todos tivessem essa coragem, com certeza nao teria tanta violencia no mundo, por que nao é só ai no Ceará, nos aqui tb em Cuiabá-mt, temos o mesmo o problena, pior nao temos uma pessoa de coragem como vc para lutar por nos, PARABENS