terça-feira, 20 de outubro de 2009

O país dos feriados!

Será que, no mundo inteiro, existe um país para ter mais feriados do que o Brasil? Com certeza, se alguém fizer uma pesquisa bem apurada, vai descobrir que não. Ô povo pra gostar de feriado!

A farra aqui já começa no primeiro dia do ano, data em que ninguém trabalha simplesmente porque está todo mundo de ressaca do "reveillon". Alguns dias mais tarde o país passa praticamente uma semana inteira parado por causa do carnaval. Quarenta dias depois, a dose é repetida em nome da Semana Santa. Aí vem o aniversário de Fortaleza, Dia do Trabalho, Corpus Christi, Dia de Nossa Senhora da Assunção, Independência do Brasil, Dia de Nossa Senhora Aparecida, Dia de Finados, Proclamação da República, Dia do Professor, Dia do Comerciário, Natal... E por aí vai!

Interessante, no meio disso tudo, é que os feriados quase sempre caem numa terça ou quinta-feira, gerando os chamados "feriadões", quando o "Zé Povim", com pouco dinheiro no bolso, e sem saber nem por qual motivo está de folga, bebe até se embriagar e sai procurando confusão com quem encontrar pela frente, contribuindo diretamente para aumentar as estatísticas da violência.

Adianta reclamar? Claro que não! Quem poderia dar um jeito nessa vagabundagem oficializada seriam os "nobres" representantes da nossa classe política. Mas aí, podemos esperar sentados, já que eles adoram feriados, pois só assim podem descansar da dura tarefa que é comparecer às casas legislativas de terça a quinta-feira para fazer de conta que estão trabalhando, com altos salários, mordomias a perder de vista e duas férias por ano, que ninguém é de ferro!

2 comentários:

Agenor Filho disse...

Realmente Juracy, é muito feriado. E já foram bem mais. No entanto, vejo um ponto em que estes feriados podem não ser tão prejudiciais como aparentam. O Brasil é hoje um país que tem no setor terciário o seu maior empregador. Ao contrário do que se pensa, a agricultura e a indústria cada vez empregam menos pessoas, isto devido aos avanços tecnológicos que substituem o homem pela máquina. Analisemos um feriado que caia em uma segunda-feira. O setor de turismo, que envolve hotéis, pousadas, restaurantes e similares têm um altíssimo aumento em seu movimento. Você pode contra argumentar: e o povão? O povão está também no entorno deste mercado, já que ambulantes, comércio de artesanato e outros também aproveitam para faturar algum. A indústria, direta e indiretamente ligada ao turismo, ao contrário do que pensamos, não para nos feriados, é a indústria de bebidas, não só as alcoólicas, o comércio, no caso supermercados e congêneres, etc. Enfim, em um estado pobre como o nosso, um feriado, na verdade, é uma benção. Forte abraço.

Maryvone disse...

Querido Juracy

No dia em você que tiver que cumprir horário fixo em uma empresa, além dos extras compulsórios, vai agradecer a Deus cada um dos feriados que temos. Obviamente, sob uma visão de produtividade, empresarial, temos bastantes feriados. Mas sob a visão de uma pequena “escrava do sistema” é um alívio, o momento onde podemos retirar as pendências de casa – já que a grana não dá para pagar empregada; para ficar com os filhos – já que a realidade nos obriga a trabalharmos dois expedientes e ainda estudarmos um terceiro para manter nossa empregabilidade.
Bom, eu agradeço a Deus que teremos mais um feriado nas próximas semanas.

Bjs