terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Hemoce lança campanha para doação de sangue no Carnaval

Já é Carnaval no Centro de Hematologia e Hemoterapia do Ceará! O órgão está convidando a população cearense para fazer um grande baile momino no mês de fevereiro, onde o maior destaque será um importante ato de solidariedade que pode salvar muitas vidas: a doação de sangue.

Como se sabe, tradicionalmente este período é um dos mais críticos para o banco de sangue do Hemoce. Os foliões viajam para as praias e o interior e com o aumento do movimento nas estradas, o número de atendimentos nas emergências dos hospitais do estado cresce muito, vindo daí a demanda por sangue. Nos últimos meses, o estoque do Hemoce tem enfrentado uma baixa crítica. No mês de novembro houve uma queda de até 50% na entrada de bolsas no banco de sangue. Por isso, precisa-se com urgência da ajuda dos doadores voluntários para atender a demanda diária dos hospitais de toda a rede pública do Ceará.

A campanha estende-se até o final do mês de fevereiro, contando com o atendimento normal e com as coletas externas da unidade móvel - um ônibus rodoviário que circula por diversos pontos da capital e de outros municípios. Os hemocentros do interior também seguem com as atividades de captação de doadores para manter o estoque.

Para você conferir o calendário de coletas externas em Fortaleza, saber como doar no hemocentros da capital e do interior ou tirar dúvidas sobre doação, basta acessar o site www.hemoce.ce.gov.br, ligar para (85) 3101.2296, comparecer pessoalmente ao Hemoce, na avenida José Bastos, 3390 (Rodolfo Teófilo) ou no Posto de coleta no IJF, na rua Barão do Rio branco, 1816 (Centro), no horário comercial.

Não esqueça: “Antes de pular Carnaval, dê um pulo no Hemoce! Doe sangue, doe Vida!”

Um comentário:

Ministério da saúde disse...

Olá blogueiro, apenas para lembrar que os candidatos a doadores precisam ter entre 18 e 65 anos, mais de 50kg, apresentar documento com foto e ter boa saúde. As pessoas interessadas em doar em outros Estados do país só precisam procurar um dos centros fixos do hemocentro ou a Secretaria de Saúde, que fornece mais opções. Para mais dúvidas: fernanda.scavacini@saude.gov.br