terça-feira, 17 de maio de 2011

Quem foi Francisca Clotilde?

     Francisca Clotilde, a rua que começa na Bernardo Figueiredo (Parque Araxá) e finda na avenida Humberto Monte, na confluência dos bairros Rodolfo Teófilo e Bela Vista, presta uma significativa homenagem a uma professora, poetisa, contista, cronista, jornalista, dramaturga e romancista que nasceu em Tauá, no sertão dos Inhamuns, e destacou-se em Fortaleza por conta das diversas habilidades profissionais e artísticas, notadamente por seu engajamento no Movimento Abolicionista.
     Francisca Clotilde Barbosa Lima (foto) veio ao mundo no dia 19 de outubro de 1862, filha de João Correia Lima e Ana Maria Castelo Branco. Quando veio para a capital passou a estudar no Colégio Imaculada Conceição, de onde saiu apta para o magistério. Em 1884, através de concurso público, foi nomeada professora para a Escola Normal. Paralelo ao trabalho de educadora, colaborou em verso e em prosa nos jornais “Cearense”, “Gazeta do Norte”, “Pedro II”, “O Libertador”, “A Quinzena”, “A República”, “Almanaque do Ceará” e também na imprensa de outros estados brasileiros. 
     Ao ser demitida da Escola Normal, fundou seu próprio externato, que funcionou inicialmente em Fortaleza e Baturité. Em 1908 transferiu-se com a família e o externato para Aracati, passando 27 anos de sua vida dedicados à educação na Zona Jaguaribana.
     Ao ser fundada a Academia Feminina de Letras, em Fortaleza, sua ex-aluna da Escola Normal, Alba Valdez, a tomou para madrinha. É patrona de uma cadeira da Ala Feminina da Casa de Juvenal Galeno. Faleceu em Aracati no dia 8 de dezembro de 1935.

     (Transcrito do JPA - Edição de maio/2011)

Um comentário:

Gerardo Anésio disse...

Olá JM!
Recebo com muita alegria o post sobre a Prof. Francisca Clotilde, esta é mais uma interessante maneira de divulgar os bairros onde sua atuação jornalística tem maior acesso. Tenho certeza que os internautas estão satisfeitos com essas mensagens. Parabéns.